Doc. P. de Todeia Doc. Recarei Doc. Sobreira

MENSAGEM

Muito bom dia,

Espero encontrar-vos a todos, bem. Como sabem, atualmente na vida das nossas comunidades, vivemos um momento único na vida de cada um de nós, nas nossas vidas, nas nossas famílias, nas nossas comunidades, na nossa sociedade em geral, sem precedentes. Como vosso pároco é difícil não me preocupar e não sofrer também convosco.

Como é do conhecimento de todos, foram tomadas inúmeras decisões, quer pelo nosso Estado, quer pelas autoridades de saúde nacionais e locais, quer pela nossa autarquia, quer a nível paroquial, de forma a tentar ajudar a conter esta pandemia. Recordo-vos que foram suspensas todas as atividades pastorais que estavam marcadas, desde reuniões, formações, catequese, etc… As eucaristias também foram suspensas, respeitando as orientações emitidas pela Conferência Episcopal Portuguesa e pelo nosso bispo, D. Manuel Linda.

No que respeita aos outros sacramentos, recomendo desde já toda a prudência, sei, contudo, que há muitas coisas marcadas e que, por norma, isso tem um impacto na vida financeira de muitas famílias. Estou a referir-me especialmente a batizados e matrimónios. Naturalmente que a atitude mais sensata seria adiar para uma ocasião em que fosse mais recomendável, porém, como referi, sei que nem sempre é assim tão simples. Desta forma, peço o especial cuidado de falarem em família e poderem optar pela melhor solução. A realizar-se, situação que naturalmente não nego, peço que tenham o máximo cuidado e possam restringir ao máximo o número de pessoas presente na celebração. Peço ainda, se me é permitido, que vão ligando, para os contactos existentes em baixo, a informarem das vossas decisões, ou seja, se adiam ou se mantêm.

No que diz respeito aos funerais, momento de profunda dor para as famílias, eu estou sempre ao vosso lado. Peço, contudo, que tenham imenso cuidado. Por favor, evitem expressar os “sentimentos” / pêsames com abraços e beijos. Por favor, pedia também que estivesse presente apenas a família mais direta, mais direta mesmo, e respeitassem um espaço entre si durante a celebração.

Dadas as inúmeras suspensões, quero dizer-vos que não estou ausente das comunidades. Tento cumprir cuidadosamente as instruções que vão surgindo, quer da Direção-Geral de Saúde, quer da nossa Diocese do Porto. Porém continuo presente e, naturalmente, continuo a rezar por vós, espero que também rezeis por mim.

É um tempo de serenidade e de calma para todos, porém isto não nos deve limitar dos nossos cuidados/deveres enquanto cidadãos.

Aos idosos gostava de dizer que não “fugi”, gostava de dizer que foi com tristeza que suspendi a visita a cada um de vós, porém, espero encontrar-me em breve, calmamente, com cada um de vós. Até lá estejam completamente à vontade para me contactar, é sempre com muita alegria que escuto a vossa sabedoria e boa disposição.

Às pessoas que servem as instituições, agradeço a vossa entrega incondicional, sois indubitavelmente de enorme importância para que estas funcionem corretamente. Não nos esquecemos nunca que o objetivo é ter o máximo cuidado com aqueles a quem servimos, que por norma são os mais frágeis da sociedade, quer pela sua idade, quer pela sua doença. Obrigado por terem um cuidado pessoal redobrado nestes dias, tentando ao máximo não ser veículos de propagação deste vírus.

Gostava de aproveitar o momento para agradecer a inúmeras pessoas, muitas mesmo, que nestes dias se desdobram de forma a fazer frente a este momento, a todas elas muito obrigado, contai com a minha oração.

Estamos juntos e rezemos juntos ao Pai do Céu por tantos e tantos que no mundo inteiro sofrem com esta pandemia.

Contactos paroquiais úteis:

Cartório: 224 333 019 / 969 826 949 cartorioparoquial@paroquiasprs.pt

Pároco: 968058836

O vosso pároco,

Pe. Pedro Sérgio